ASFALTO FRIO E QUENTE, ENTENDA A DIFERENÇA ENTRE ELES

A principal diferença entre o asfalto frio e quente não está só na sua temperatura, mas também no ligante asfáltico utilizado. As duas misturas são formadas por agregados minerais, ou seja, britas, pó-de-pedra, filler e o ligante asfáltico.

Para entender a diferença entre o asfalto frio e quente é necessário entender um pouco sobre a produção dos dois tipos feita na usina de concreto. No concreto betuminoso usinado quente é utilizado o ligante conhecido como CAP, ou seja, cimento asfáltico de petróleo. Esse ligante é um material semissólido na temperatura ambiente que precisa de aquecimento para unir sua composição aos demais agregados minerais.

No concreto betuminoso usinado, os agregados que são utilizados de maneira mais comum são britas e pó-de-pedra, esses que quando misturados ao concreto usinado quente tem a função de dar estabilidade à mistura e resistência mecânica.

Para a classificação do concreto betuminoso usinado quente é levado em consideração a curva granulométrica dos agregados presentes nele, assim podendo variar entre granulações mais densas, descontínua, uniforme ou abertas. Sendo assim, já surgem as primeiras diferenças entre o asfalto frio e quente, pois, já no concreto betuminoso usinado frio o ligante asfáltico é emulsionado em água, assim se tornando uma emulsão asfáltica catiônica, sendo possível agregá-la aos demais mineiras de maneira mais fácil, tendo uma melhor aderência.

No concreto betuminoso usinado frio, mostrando a diferença entre o asfalto frio e quente, a mistura tem a função de promover flexibilidade, impermeabilidade, aglutinação e durabilidade do composto asfáltico.

    Os ligantes utilizados na produção do asfalto frio e quente

O ligante utilizado no concreto betuminoso usinado quente, o CAP, é um material termos sensível, onde durante a sua produção  deve-se obedecer a curva de viscosidade/temperatura. Por isso, é necessário ter muita cautela em relação a temperatura na hora da produção do concreto betuminoso usinado quente, isso porque, caso a temperatura do CAP esteja acima do ideal o ligante poderá sofrer danos a sua propriedade e oxidar-se precocemente.

Ao oxidar precocemente o ligante asfáltico altera sua composição e acaba por reduzir a vida útil do concreto betuminoso quente.

Mostrando as diferenças entre o asfalto frio e quente, na produção do concreto betuminoso usinado frio o ligante utilizado não é o CAP, mas sim a emulsão asfáltica, uma dispersão do CAP em fase aquosa estabilizada com tensoativos que permite ser usada na mistura junto a agregados úmidos.

Diferente do CAP utilizado na produção do concreto quente, pois nele há a necessidade de secagem dos materiais em alta temperatura para que aconteça a colagem dos agregados com o ligante. Em alguns casos até, dependendo da origem do material agregado é necessário adicionar cal a mistura do CAP para que haja aderência.

Após a mistura do concreto betuminoso usinado frio ao ligante é necessário um tempo de descanso para que o material mantenha sua capacidade adesiva.

Na emulsão asfáltica é possíve ter várias composições que são classificadas de acordo com o tempo de ruptura, teor do asfalto e a presença de materiais de reforço como polímeros. Sendo assim, o ligante utilizado é uma das principais diferenças que se dá entre o asfalto frio e quente.

    Comparação entre o asfalto frio e quente

Diferenciando o asfalto frio e quente, o concreto betuminoso usinado frio pode ser classificado entre mistura aberta, semi-aberta e densa.

Por isso, comparando o asfalto frio e quente, o concreto betuminoso frio precisa de um maior volume de vazios para que a água evapore, assim tendo um maior desgaste com o passar do tempo em relação ao concreto betuminoso usinado quente, por estar mais sensível a ação da água e do ar.

Há estudos que mostram que para romper o concreto betuminoso usinado quente é necessário um desgaste de carga muito maior do que para o concreto betuminoso usinado frio. Por conta disso, o concreto betuminoso usinado frio possui algumas restrições de aplicações, principalmente em rodovias onde há o transporte de grandes cargas, por conta de esse se desgastar com mais facilidade na comparação do asfalto frio e quente.

Assim, o concreto betuminoso usinado a frio, em comparação entre o asfalto frio e quente, é mais indicado para vias de pouca circulação e em camadas intermediárias da estrutura do pavimento, seguindo sempre uma criteriosa dosagem de mistura.

No concreto frio podem ser adicionados polímeros a emulsão asfáltica, fazendo assim com que a mistura fique mais estável, além disso, para tornar esse tipo de asfalto ainda mais durável, é necessário fazer um estudo do escoamento da água. Examinando o projeto de drenagem da estrada ou rodovia é possível entender se há um local de escoamento da água, assim evitando que a água da chuva desagregue o concreto betuminoso frio.

ASFALTO FRIO E QUENTE, ENTENDA A DIFERENÇA ENTRE ELES
Rolar para o topo